terça-feira, 26 de junho de 2012

In " Histórias do Japão"

"Decerto que o destino nem sempre é o que é. Muitas vezes mais parece um cartão de origami. Quando menos se espera, desdobrado pelo acaso, pode ser redobrado a favor de outra história no percurso da existência".

José Arrabal

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Atividade de recreação em Creche Pública

Projeto de extensão leva atividades de recreação e lazer a crianças de creche pública de Florianópolis

Estudantes do Cefid/Udesc promovem contação de histórias e origami


Leia toda a notícia aqui

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Biblioteca do Estreito

Mais uma vez acabei de fazer a Exposição - Brincadeiras de Papel do projeto Ciranda.

Ficam aqui algumas fotos e a morada para quem quiser visitar.

Estará aberta ao público no horário da Biblioteca no Estreito, com oficinas e brincadeiras com os brinquedos executados.

(autor desconhecido)


Rosa de Kawasaki

(autor desconhecido)
(autor desconhecido)

Tornillo - Paolo Bascetta

Tornillo - Paolo Bascetta

Obrigada às meninas da capacitação e espero que brinquem muito com a criançada.

segunda-feira, 4 de junho de 2012


Quando dobramos um origami muitas vezes esquecemos de dizer quem o criou e isso não está certo. Como se costuma dizer o seu a seu dono.
Quando dobramos um origami tradicional, um tsuru, um barco, um lírio ou um avião, entre outros devemos colocar "origami tradicional" e se não soubermos quem é o autor...é só colocar  "autor desconhecido".
Esta atitude é importante, é ética e deve ser utilizada por todos os que dobram papel.