quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Domingo com a Cultura Japonesa




No último dia 7 de dezembro na AABB (Associação Atlética Banco do Brasil) , sede de Coqueiros em Florianópolis, SC, aconteceu o “Domingo com a cultura japonesa"
Este evento foi realizado em parceria com a AABB e a Nipocultura.
Foi-me feito o convite para realizar uma oficina de Origami.

As fotos do evento podem ser vistas no site www.nipocultura.com.br.

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Benefícios do Origami


Didita, Élide e Lenita

Hoje decidi escrever um pouco do que eu aprendi a conhecer sobre Origami. O meu percurso no ensino do Origami foi dado pela Manuela Martins. Ela levou-me a fazer uns modelos simples e com o tempo comecei a gostar, depois foi a vez de a ajudar em algumas actividades onde o Origami era utilizado como ferramenta pedagógica, como instrumento de trabalho, lazer, divertimento e até apenas para passarmos algumas horas livres das tristezas do nosso dia a dia.
Lembro-me de ficarmos horas a olhar e folhear livros, diagramas, cortar papel e mais papel colorido e esquecer que fora daquelas paredes existia um monte de problemas. As nossas mentes simplesmente se focavam em dobrar e resolver o diagrama que estava à frente dos nossos olhos. Podemos dizer que neste aspecto o Origami é como uma meditação que esvazia a mente do mundo que nos rodeia porque a partir de toda a concentração que necessitamos para construir algo mais complicado só nos centramos nisso mesmo.
Passaram-se os anos e eu fui lendo, estudando, aprendendo e aplicando os conhecimentos que me foram transmitidos por ela.
Fui testando as minhas próprias capacidades e descobrindo toda a potencialidade desta maravilhosa arte.
Tenho lido muito, pesquisado muito aprendido muito através do Origami que eu considero além de uma arte uma filosofia de vida.
Hoje eu dou aulas de origami, cursinhos, algumas palestras e falo a toda a gente dos benefícios que podem ter na sua vida através do simples gesto de dobrar um quadrado de papel.
O que mais me alegra é o facto de ouvir uma aluna minha, a Élide, de 61 anos dizer: "como é maravilhoso eu conseguir fazer tudo isto". É uma frase simples mas dita por uma senhora que teve um AVC e procurou ela mesma, através de alguns cursos, vencer as barreiras que se atravessaram no seu caminho. Com o Origami ela diz que conseguiu "Paciência, concentração e sobretudo coordenação nas suas mãos e que tinha perdido com a doença".
Não podia deixar de colocar aqui estas palavras.
Com uma foto ilustro estas palavras e a alegria vivida por quem faz Origami e encontra nele todos os dias algo novo.
Didita

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Caixa com gaveta

Encontrei o diagrama desta caixa de origami e gostei.Desconheço o autor e se alguém souber agradeço que me digam.
Dá para fazer várias e colocar umas por cima das outras e fazer um movel pequeno, mas tem de se usar um papel diferente.
gaveteiro_07.gif" border="0" alt=""id="BLOGGER_PHOTO_ID_5273866570111120018"

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

RECICLAGEM - PET

Guirlanda
(feito por Didita)
Guirlanda

(feito por Élide)

Sino - Garrafas PET

(feito por Socorro)

Poltroninha

(feita por Didita)

sábado, 8 de novembro de 2008

Semana Cultural Japonesa



Cultura


Na alma da terra do sol nascente


Mostra em comemoração ao centenário da imigração japonesa no Brasil começa hoje, no CIC, em Florianópolis


Yoko Ohara Diniz é uma japonesa de olhar expressivo. Há seis anos no Brasil, mantém os hábitos adquiridos na infância vivida ao Sul do Japão. Voz suave, movimentos delicados e sorriso perfeito. Yoko é pura harmonia. Aos 30 anos, a professora de japonês, casada com um brasileiro, é uma das integrantes da Associação Nipo-Catarinense, instituição que realiza, de hoje a domingo, uma Mostra da Cultura Japonesa, no Centro Integrado de Cultura (CIC), em Florianópolis.Nesta ano a comunidade japonesa festeja o centenário da chegada dos primeiros imigrantes no Porto de Santos (SP). Mas é importante lembrar que os homens da terra do sol nascente aportaram na Ilha de Anhatomirim há 205 anos, empurrados por uma tempestade que avariou o navio numa viagem de circunavegação.- Eles ficaram 70 dias atracados na Ilha recuperando o navio para prosseguir e registraram tudo o que viram. A flora e a fauna exuberantes, o mar azul e os dias quentes, a fartura de peixes, a escravidão e a acolhida do povo que habitava a antiga Desterro. Todas estas informações estão documentadas nos arquivos da Marinha Russa Imperial - observa Yochihiko Kaneyoa, um estudioso de sua etnia.

No Brasil, a comunidade japonesa soma um milhão de pessoas, mas em Santa Catarina não passa de três mil. Mas nem por isso a rica cultura deste povo - onde nada é por acaso - deixa de ser praticada. Em Florianópolis a associação já pode ser considerada multicultural, pois 60% dos seus associados são descendentes de outras etnias. Exemplo disso é a lisboeta Albertina Fonseca, que há X anos pesquisa o origami. Perfeitamente integrada na associação nipo ela fala de sua relação com a arte de transformar dobraduras de papel em obras de arte.- O origami é como a vida. A dobra tem que ser perfeita. Mas se você errar, pode refazer. Só que a marca sempre ficará no papel. Assim como na vida - compara Albertina.A mostra que ocorre hoje, amanhã e domingo no CIC é uma verdadeira maratona cultural. Oficinas de bonsai, origami, ikebana, mangá, lutas medievais, a cerimônia do chá, o quimono e seus significados, as curiosidade em torno do Nihontoo, a arte da espada japonesa, além da gastronomia. O Consulado do Japão também enviou parte do acervo com peças de rara beleza como réplicas de palácios e bonecas, entre tantas outras.Mas se fosse resumir a cultura japonesa em uma palavra. Qual seria?- Respeito. O japonês reverencia sempre o lugar. Nunca entra de forma abrupta. Primeiro é o cumprimento ao ambiente. Depois, às pessoas que fazem parte dele - diz Luiz Kiyosho Nakayama, diretor da associação.

JACQUELINE IENSEN

Link do jornal Diario Catarinense

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

terça-feira, 12 de agosto de 2008

sexta-feira, 18 de julho de 2008

A historia de um filme feito com muito carinho, companheirismo e muita amizade

Primeiro olhávamos o mar e molhávamos os pés...até porque o meu...ui!

Depois...fazer o storyboard foi o melhor!!!!ahahahah
Ter a participação de um jovem que em criança frequentou a Videoteca...
E que encontrámos no dia que chegámos ao curso...O João. Foi muito bom!

Medir...medir....medir...tudo foi feito à escala!!!!


Vá ...a árvore é tão fácil de fazer!!!!ahahahah

Mas no final ficou lindo!!!!!

Como me foi dito pela Directora da Mostra Luiza Lins "Um filme onde se sente o carinho e toda a delicadeza que nele foi colocado"

Parabens Manuela e parabens a todos os que participaram neste filme...incluindo Eu...ahahaha!!!

quarta-feira, 16 de julho de 2008

segunda-feira, 16 de junho de 2008

Filme "O Corvo e a Raposa"

O Filme "O Corvo e a Raposa" feito em 2005 durante o workshop Frame a Frame em Cascais por Manuela Martins e por mim Albertina Fonseca foi seleccionado para a 7ª Mostra de Cinema Infantil em Florianópolis, Estado de Santa Catarina, Brasil.

Selecção

domingo, 18 de maio de 2008

Sonobe - Tsurus



Além de se poder fazer um móbile, este Kusudama e suas variações permitem realizar várias dinâmicas de grupo e também permite a sua utilização em actividades envolvendo vários temas.

quarta-feira, 7 de maio de 2008

Prison Break (série de TV onde se utiliza o origami com bastante significado)

Episódio 110 - Sara admite para Michael que seu pai nunca vai visitá-la no dia do seu aniversário, e se mostra magoda. Michael tenta melhorar o astral de Sara sem muito
sucesso. Então Michael faz um origami em formato de rosa e dá para Sara. E ela gosta.

Episódio 205 - Sara recebe um novo origami de Michael, com um número impresso no interior…



Episódio 206 - Sara tenta compreender as mensagens Michael….

Vídeos sobre o filme e que fazem referência ao uso do origami.

http://www.youtube.com/watch?v=g9T1Gt4IrX0

Aprenda a fazer o Cisne da série "PRISON BREAK"

http://www.youtube.com/watch?v=JM-JjEAN4QU&feature=related